Buscar
  • Patrícia Mezzomo

Porque repetimos os mesmos erros


O que na sua vida se repete?


O que você não aguenta mais vivenciar como um padrão?


Já parou para pensar que isso possa ter um significado?


Aquele relacionamento que sempre é o mesmo, independente da pessoa com quem nos envolvamos, a mesma ruptura de amizade, os mesmos arrependimentos.


Nosso inconsciente age por pistas, ele quer vir à consciência, mas como não encontra a autorização do ego, ele recorre à meios não tão óbvios e que muitas vezes solicitariam a presença de um verdadeiro Sherlock Holmes para decifrar suas marcas.


Mas o que precisamos saber é: nada se repete ao acaso.


A repetição tem uma historinha tentando ser revivida para enfim ser resolvida. Algo que ficou marcado lá atrás, que nos causou fortes emoções, traumas e dores profundas, foi jogado para a nossa sombra.


Claro, queremos esquecer o que machucou e por isso nada mais justo que arremessa-las (as dores) aos porões das nossas sombras. E esse plano seria perfeito se lá no fundo do nosso ser, não habitasse o desejo de cura e felicidade.


E esse desejo vai clamar por sua realização através destas pistas, destas repetições, que mais parecem um karma do que uma simples tentativa de solução.


Quando trazemos para a luz da consciência a nossa dor, o nosso passado, o nosso esconderijo, estamos dando a oportunidade da energia fixada no trauma lá do passado, agora poder se movimentar e fluir livremente.


Por isso saber-se é tão importante, por isso observar-se, analisar-se, reconhecer seus próprios padrões e desejos é a solução para um sofrimento que nos acompanha.


Ao falar de si, ao rever sua própria história iremos nos ouvir, nos re-conhecer e nos ressignificar, integrando nossas partes separadas e deixadas nas sombras.


Escreva sobre si, converse, faça análise, investigue-se. Nada tem mais importância que o conhecimento da própria história e o poder de mudar o próprio destino ao poder escolher repetir ou mudar.

98 visualizações